BRUNO FIALHO APRESENTA DENÚNCIA NO DIAP CONTRA MAMADOU BA

Bruno Fialho, presidente do PDR – Partido Democrático Republicano, apresentou hoje uma denúncia no DIAP contra Mamadou Ba, pelo crime de “Discriminação e incitamento ao ódio e à violência”, previsto e punido  pelo artigo 240.º do Código Penal

 

Lisboa, 07 de Julho de 2021 – Bruno Fialho, Presidente do PDR, que integra a Comissão de Honra da candidata à Câmara Municipal da Amadora, Suzana Garcia, apresentou hoje uma denúncia no DIAP contra Mamadou Ba, pelas publicações que o conhecido activista fez nas redes sociais Twitter e Facebook acerca do apresentador Manuel Luis Goucha.

“O Partido Democrático Republicano (PDR) integra a coligação DAR VOZ À AMADORA, juntamente com os partidos PSD, CDS-PP, Aliança e MPT, mas mesmo que não fizesse parte desta coligação, eu não conseguiria deixar de denunciar um sujeito que tem reiteradamente ultrapassado todos os limites da decência humana e incentivado ao ódio contra os portugueses, principalmente os brancos, e que, neste caso em particular, o fez contra o apresentador Manuel Luís Goucha, atacando a sua orientação sexual e até o acusando de racismo”, explica Bruno Fialho, presidente do PDR – Partido Democrático Republicano.

“É vergonhoso ver que Mamadou Ba tem sido levado em ombros por uma certa esquerda radical, recebido milhares de euros em apoios para propagar o ódio em Portugal e contra os portugueses e as nossas tradições e nada lhe acontece, porque fica escudado na figura do imigrante, negro e refugiado senegalês, com o aval do Governo que lhe concede cargos públicos”, considera Bruno Fialho.

Numa publicação do Twitter, Mamadou Ba, dirigindo-se a Manuel Luis Goucha, conhecido apresentador de televisão e presidente da Comissão de Honra da candidata Suzana Garcia à Câmara da Amadora, escreveu o seguinte: “Goucha, o gay que tentou reabilitar Mário Machado, um criminoso nazi homofóbico assumido, sai definitivamente do armário racista e apoia a candidata racista do PSD na Amadora. Isto vai para lá do sinistro homonacionalismo”, denuncia Bruno Fialho.

“Ainda na mesma rede social, Mamadou Ba faz a publicação seguinte: “Podem vir aqui grunhir todos os nazi-fascistas, mas o Goucha é mesmo a expressão do homonacionalismo, isto é, pessoas lgbtqi+ a”, refere Bruno Fialho

“Talvez avisado por alguém com conhecimentos jurídicos, Mamadou Ba, remata com esta publicação no Twitter, onde escreve o seguinte: “E que fique bem claro que o que está em causa é o homonacionalismo do Goucha e, em momento algum, a sua orientação sexual”, esclarece Bruno Fialho.

E acrescenta: “Já na rede social Facebook, Mamadou Ba, escreveu o seguinte: “Manuel Luís Goucha, o homossexual que tentou reabilitar Mário Machado, um criminoso nazi homófobo assumido, sai agora definitivamente do armário racista e apoia a candidata racista do PSD na Amadora. Isto vai para lá do sinistro homonacionalismo. Este apoio explica bem o cardápio de convidados reacionários residentes no seu programa”

“Será revoltante o Ministério Público não requerer a condenação exemplar de Mamadou Ba, pois não podemos a exigir tolerância a uns e permitir intolerância a outros. Não quero acreditar que a justiça em Portugal esteja de tal forma que permita tudo a um activista que vive às custas dos dinheiros públicos”, conclui Bruno Fialho.